01 abril 2008

.

.
de
.

.

.

na Galeria Reflexus - Porto




.

27 comentários:

jmsm disse...

Há muita energia criativa neste rapaz, não há?

Anónimo disse...

Muita energia criativa sem dúvida.
Talvez mais do que a do rapaz a baixo. Talvez por usar uma maior percentagem de materiais precários e usá-los criteriosamente num estilo neo faux naive. O efeito do uso de folhas quadriculadas de cantos arredondados com letras laboriosamente desenhadas a caneta de feltro é realmente sublime.
jmsm

mauro disse...

é, eu sou um gajo sublime.
obrigado pelas fotos isabel.

isabel disse...

ora essa, caro 'incoerente'.
a exposição que as fotos mostram trouxe luz aqui à sombra.
mas não é por ser de um gajo sublime, a luz é que se espalha melhor nos estilhaços de vidro! heheh

jmsm disse...

Oi!
Anónimo sublime quem és tu?
Confesso que não suporto a designação de anónimo
Eu sou jmsm = José Manuel Santos Maia
E tu?
Amigos da sombra
Sabem de quem se trata?
É difícil falar com alguém anónimo
Prefiro trocar umas palavras com alguém com nome

Anónimo disse...

Ups, fiz um longo comentário sobre a exposição do Mauro e POFFF!!! Perdi.
Não vou escrever novamente,nem pensar!
Escrevo apenas para mostrar o meu interesse pela comunidade, daí prestar esta observação.
; )

Carlota

Anónimo disse...

Isto é assim "Chunga", vou resumir:
Montagem boa!
Preferi mais os objectos "construídos".
E menos os objectos dispostos( orientavam a exposição para um formalismo...)
Gostei mais dos pormenores, do escondido, da barricada do que o afirmativo ( excepto a peça dos copos)
Foi interessante ao longo do tempo algumas formas abstractas ganharem "apelido" ( a espada só a reconheci agora q revi as fotos da sombra).
Existe um jogo,mas não sei o que motiva desse jogo, gostava de ler algum texto sobre a exposição, existe?
Carlota

Anónimo disse...

NOTA:Mas existe energia!Um querer fazer. Isso é de ver e bom de ver

isabel disse...

2 notas:

- carlota: não há txt, há que ler a exposição com o que lá há. mas ao menos estas narrativas incompletas do mauro, são mais estimulantes que as do 'outro' ;)

- a 2ª nota vai para o caro anónimo jmsm: peço-lhe um pouco menos de preguiça e que para a próxima crie uma mascara própria. se procura um desvio, ele será bem-vindo aqui à sombra se vier no conteúdo do comentário, não em piadas nominativas.

Anónimo disse...

Sim. Cruzei-me com o arista, durante a tarde, falamos sobre a exposição e soube q não existe texto.
Não sei se são narrativas incompletas, talvez sejam momentos.
E o "outro" quem é?!
Carlota
Pires
DaCosta

Anónimo disse...

Pronto, sou um facínora e um cobarde.
Estava só a tentar fazer um elogio babado a esta tendência recente e regional de usar fórmulas repescadas de uma certa cultura underground norte americana. Tão underground que até comparece em desfiles de Marc Jacobs. Nostalgia formal. Criatividade é para publicitários e designers de interiores. Não, esperem, estar ali já é político!
Não sei se há contraplacado suficiente no Porto para tanto falso desprendimento formal.

Peço desculpa aos visados. Continuem. Tudo é válido. Liberdade.
jmsm

nuno disse...

ó 'jmsm' falso, podes deixar aqui as opiniões que quiseres, garanto-te que ninguém se chateia muito com isso e pessoalmente até as acho muito bem humoradas (se bem que no caso do mauro me parece muito injusto arrumar as opções como o fazes, mas podemos ir trocando ideias sobre o assunto) mas de preferência escolhe um outro acrónimo, pois esse já identifica alguém

jmsm disse...

Caro anónimo que assina jmsm e diz de si ser cobarde e facínora
Porque falas encapuçado?
De que tens medo?
Não acreditas nas tuas palavras
mas queres falar.
É esse o problema?
Falas em liberdade
e não sabes o que é.
É por isso que não te sentes livre para dar a cara,
para falar com a tua voz = nome?
Quanto ao pedido de desculpas…
da parte que me toca não te desculparei
pois de tal não precisas
enquanto conscientemente agires cobardemente
(segundo as tuas palavras que descrevem a tua personalidade)

Não dar a cara pelo que se diz é pior que não saber o que se diz, não te parece?
É o espírito que é menor. É não ser merecedor de muito que foi dado por aqueles que mais te querem.
Da mesma forma que ser ignóbil é bem pior que ser provinciano.
Se para o Pessoa o mal superior português consiste no provincianismo e “O facto é triste, mas não nos é peculiar. De igual doença enfermam muitos outros países, que se consideram civilizantes com orgulho e erro”
ser ignóbil é ser vil, indigno, baixo, vergonhoso, sórdido, abjecto e desprezível.
É tanto que não consigo imaginar numa só pessoa.
Como tal
diz quem és
e fala abertamente neste espaço que é de liberdade.
Liberdade que é maior quando quem dentro dela age com responsabilidade.
Ser livre e habitar um espaço de liberdade
requer saber o que é um espaço de liberdadenão para si mas para todos
É muito diferente de agir com libertinagem com intemperança, descomedimento, desaforo, insolência e imodéstia.
Vá lá …
dá a cara = nome
pois este e qualquer espaço de liberdade é teu
se o mereceres
isto é
se o souberes habitar
vá lá …
se acreditares que as tuas palavras são importantes e que mereceram ser ditas
e merecem ser respeitadas
dá a tua cara = nome

eu dou o meu nome a estas palavras
sou o
José Manuel Santos Maia = jmsm

mauro disse...

sim é falso desprendimento formal.
mas tu nao sabes o preço do contraplacado!
fica mais caro k fazer pintura a óleo!

é sou um faux naive!
eu fazia exposiçoes no museu de arte primitiva moderna de guimaraes até k disseram k o meu lugar nao era ali pk encontraram um livro do mike kelley na minha pasta!

agora tenho k fazer política nesta galeria, mas tudo bem, sei k agora sou uma puta tal como alguém disse no outro dia sobre os artistas estarem em galerias.
ser puta até é fixe!
já tenho nota pas férias!

e sim, viva a liberdade!!!!!

Anónimo disse...

Mas o que é falso desprendimento formal? Tudo o que é colocado na forma já é falsear o início, o virtual. Falsea-se sempre quando temos que lidar com o fabricar do "objecto". Está-se sempre preso à elaboração do que há-de ser. Desprendimento é para quem anda de férias e não se preocupa com horários.
Se criativo vem de criar não está destinado apenas aos designers. O design é que usou e abusou dessa expressão para conquistar público.
Quanto ao fenómeno do Porto regional e underground, infelizmente é uma alcunha neste momento. Só falta o Rui Rio pegar neste chavão para o turismo local( a sorte é que ele não ainda não sabe ;). Este fenómeno aconteceu devido a alguns acidentes, tal como o artigo da Cateline Gomes ( acho q acertei no nome). Criou-se o " underground " que faz vista à capital de qualquer País, para o estrangeiro ver.

Carlota

THE WRONG GUY disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
THE WRONG GUY disse...

I LOBE CONTRAPLACADO DE PINHO OR OTHER WOODS. THERE'S A LONG CONTRAPLACADO TRADITION UP HERE IN THE NORTH OF OUR LITTLE COUNTRY. MY FRIEND BELMIRO LOBES CONTRAPLACADO A LOT... HE MADE A FORTUNE OUT OF IT!!!

Anónimo disse...

Os meus posts anteriores que despoletaram esta discussão foram de facto maldosos e despropositados. Mais uma vez peço desculpa. Não me contive. Lamento.

jmsm disse...


fica bem

nuno disse...

só para frisar bem, embora pareça, isto não é um espaço corporativo.

às vezes, comentários com um pouco de malícia fazem bem a toda a gente, e tal como o contraplacado, tem grande tradição na prática artística.

cheers!

nuno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nuno disse...

mauro, só para avisar que vou fazer uma tatuagem com a tua frase

"agora tenho k fazer política nesta galeria, mas tudo bem, sei k agora sou uma puta"
:•)

mas pelo sim pelo não, vou fazê-la sem usar tinta

cheers again!

Anónimo disse...

já foi descoberta a identidade do Zorro?
viva a aventura!

jmsm

Anónimo disse...

Olá a todos!
O meu nome é Joana Maria Silva Monteiro e confesso que fico apreensiva ao notar que ninguém percebeu que esta história era entre mim e ele. No dia em que o Mauro colocou o piercing no lábio inferior recusou-se a beijar-me. Tinhamos 18 anos e surgia uma discussão entre nós que durou até aos dias de hoje. "Design over meaning"... O mauro é um tretas! É só tatoo-piercing e contraplacado mas quando se trat de cheirar uma aguardente de zimbro ou beijar a Joanita.... vai-se a energia criativa pró caralho!

Ora Porra!
O meu nome é J de Joana, M de Maria, S de Silva e M de Monteiro... O nome do rapazito-maravilha é T de Mauro, Ó de Bruno, T de Ribeiro e Ó de Cerqueira. Perceberam... Tótós!

nuno disse...

ó joanita (gosto, um zorro de sexo diferente), sabes que mais? vai ver se estamos todos na esquina à tua espera. a sério, vai. entretanto, a gente vai montar por aqui um esquema de apostas àcerca da tua identidade, até porque está aí a chegar a silly season e precisamos de nos entreter com alguma coisa. quem te descobrir a careca ganha um piercing em contraplacado faux naive. beijos é que não, desculpa lá.

ass. tótó (um deles, que tu enganaste-nos a todos, sua malandra)

isabel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Cheguei tarde, alguns comentários apagados mais tarde.
Não vi a exposição do delfim mas parece-me que por detrás da discussão do contraplacado há romance e uma história à moda do norte ( leia-se camiliana), a clássica triangulação. Estarei a alucinar?
madame Min