04 dezembro 2006

Busca Pólos


(Cartaz - André Sousa)
.
.
.
Busca Pólos
no
Pavilhão Centro de Portugal
em
Coimbra

09 Dez., Sábado

15h
Vídeo:
Não
de Israel Pimenta


17h
Performance:
08.04.1994 - 00.00.2006 (II) - "A rápida raposa castanha salta por cima do cão preguiçoso - uma conferência sobre Nova Emoção"
de André Sousa


18h
Filme:
Plural - parte II
de Daniela Paes Leão e João Sousa Cardoso


(a exposição continua patente até 16 de Dezembro)

Local:
Pavilhão Centro de Portugal
Ínsua dos Bentos, Av. da Lousã
3030-476 Coimbra
tlf.: 239837114
Horário:
Ter. a Dom.. Encerra Seg.
Ter. a Sex.: 10h - 18h
Sáb., Dom. e Feriados: 15h - 19h

12 comentários:

Anónimo disse...

oi!!!
lá estaremos todos

vai ser bom rever os trabalhos

é estranho
parece que já passou tanto tempo

foram tantas noites a trabalhar
foi lindo ver que todos estavam interessados em construir uma boa exposição
já estava com saudades desta energia, este entusiasmo
a horta da Carla!!!
As bandeiras da Carla!!!
Eu pensava: Queima não queima, vai sair dali disparate, já cheira a queimado – vamos ver o resultado!!??!!
E lá estão fantásticas!!
Olho e vejo a Carla, é mesmo a Carla!!!

E a Isabel… com a Carla pareciam a dupla imbatível
Foi bonito ver as senhoras com capa de protecção da chuva, nos passeios entre a horta e o interior do pavilhão – pensava eu – devem vir fumar um cigarro!!! Ou comer algo.

E por falar em comer…
O queijo da Mafalda, as bolachas e agua eram o pouco que ali – para mim que estou sempre com fome – representava o manjar dos deuses.
A senhora Mafalda desenhava, de cócoras, ia para dentro do desenho e saia…
Envolvia-se num silêncio característico de uma sala de aula de desenho de figura humana, num daqueles exercícios de 3horas…
Mas na Mafalda o método resultou e só lá é que reparei que é o mesmo utilizado no processo de realização das tramas e das “pastas” que nos fazem lembrar a Mafalda

O Renato envolto no seu mundo e tempo reflexivo
Olhava para as cadeira,
colocava, olhava, pensava
recolocava, olhava e pensava
voltava a pensar – ali sozinho com as cadeiras
fui ter com ele uma ou duas vezes para lhe dar uma palmada nas costas, eu falava qualquer coisa – como sempre faço e ele sorria e instalava-se no seu silencio num mundo com outro tempo
muito diferente do meu, do nosso – o dele… O NATINHO!!!!

E os homens da mula!!
Mudaram radicalmente o ambiente do pavilhão
Embora a preto e branco – o desenho/mural – parece que tem muitas cores
É da alegria deles e do prazer de estarem nas coisas.
A musica e os sorrisos, a boa disposição – fantástico – não há depressão artística com estes senhores da MULA.
E a minha chi – chiocca – um amor. O trabalho dela é óptimo, não é?
É uma senhora!!
Tá cada vez melhor!!
Dei por mim a pensar: sou tão diferente da chiocca…
somos todos tão diferente…
QUE BOM!!!

O EDU - Eduardo - que por lá andava a dar uma mão
e a depositar o seu olhar silencioso
antes de falar: eu dou-te uma mão – sai daí que não percebes nada disto…
deu-me uma ajuda enorme mais o Renato e o rui. O trabalho que deu a minha casa!!!
Muito obrigado a todos
Foi óptimo
e no sábado também vai ser .
bora lá

Anónimo disse...

Levem câmaras fotográficas
Para tirarem fotografias
Para ++++ tarde recordar
Re + cor+dar

Vai ser bonito
até já
maia

Anónimo disse...

O primeiro comentário era sério! parecia gozação!

Anónimo disse...

Não, não é a brincar

Estava a lembrar-me do que vivi
E até estava enternecido
por o ter vivido
gosto muito das pessoas que estão envolvidas neste projecto
não sei quem és
mas
não queria fragilizar ninguém

sei que nestes espaço
as pessoas gostam de gozar
mas não foi essa a minha intenção
quando falo de alguém
posso estar a fazer um caricatura
mas
não é num sentido pejorativo
estas pessoas – destas pessoas, gosto muito

para que não seja mal interpretado
quero pedir à Isabel e ao Nuno que retirem este e o anterior comentário
o que se lê
não faz justiça o que me levou a escrever
ao que pretendia partilhar
num processo de rememoração

peço desculpa se fragilizei alguém
com os meus comentários
mas não era essa a intenção
não tenho razoes para fazer
admiro muito as pessoas referidas
e tenho todo o apreço por elas e quero preservar a boa relação que tenho com elas


ISABEL E NUNO
Podem retirar estes dois comentários
Do vosso espaço

obrigado
até já
maia

Nuno Ramalho disse...

maia, nao vejo razao nenhuma para retirar os comentarios.

estou totalmente convencido que toda a gente envolvida no projecto, que te conhece bem, sabe que os comentarios nao sao de gozo.

ha quem perca tempo com as ironias do costume, enfim, o humor e uma coisa necessaria; mas tambem o e, cada vez mais, a afectividade.

dito isto, se quiseres realmente retirar o que escreveste, fala com a isabel.

mas nao facamos tempestades em copos de agua, sim?

abraco

isabel disse...

Maia,
faço das palavras do Nuno, as minhas:
nem pensar em apagar um comentário tão entusiasta!
a energia que transparece das tuas palavras é real... como dizes:

"foi lindo ver que todos estavam interessados em construir uma boa exposição"

beijo grande
e até amanha

Anónimo disse...

Olá!!!

Sim, fica.
Fico contente com a situação
E FORÇA AMIGOS
TEREMOS QUE CONTINUAR

Beijos
SAUDADES NUNO!
EM BREVE ESTAREMOS TODOS JUNTOS NIVAMENTE


Até já
maia

Anónimo disse...

Nuno
Ao reler o que escrevi
Pensei melhor
Sempre estivemos todos juntos
E este espaço
Confirma-o
Até já
Abraço forte e amigo

Anónimo disse...

oi amigos!!
foi lindo o dia em coimbra não foi?
e etrminou com aquele jantar entre amigos

já tinha saudades...

abraço
até já
maia

Anónimo disse...

Olá gente!!!

De volta ao porto
depois de um dia no Busca Pólos em Coimbra

Cá estamos nós
Quero partilhar o meu entusiasmo com os amigos
Vamos por partes
O trabalho do Israel
Um vídeo muito em montado.
Um vídeo cuja montagem e manipulação das imagens
Nos introduz num mundo anestesiado.
São cruas e inclementes as imagens vídeo-pictóricas
(não me posso esquecer que são de um pintor)
Imagens que revelam um olhar crítico da sociedade contemporânea
Um vídeo que caracteriza a vivência / existência em tempo de férias
A estranheza que se instala em nós quando olhamos para estas imagens
e esta estranheza é conseguida pelo Israel
sem que as imagens sejam
ou revelem um olhar perverso
muito inteligente e
são imagens que revelam a sensibilidade do Israel
Consegue com o vídeo envolver-nos num estada de dormência, letargia
Ao estarmos envolvidos por esta sonolência
como estão os representados – os que vivem numa espécie de sono e se deixam arrastar e engordar querendo ou pensando-se viver no/do prazer -
aqueles – os do vídeo – somos nós
aquele que ali está poderei ser eu, ou tu
(lembras-te dos nosso comentários Carla?)
Ou pelo menos poderemos vir a ser num futuro não muito distante
Num tempo próximo – o Israel presentifica o tempo com a lentidão das imagens
A leitura das imagens são físicas - faz-se sentir no nosso corpo - são sensações presentes ali frente aquelas imagens. Grande pintura este trabalho em vídeo do Israel!!

O realismo das imagens convoca outros realismos da história
O olhar caricatural piedoso (e não impiedoso) porque verdadeiramente HUMANO
Estabelece ligações aos momentos e a artistas da primeira metade do Século XX, mais propriamente expressionistas como Rouault e Max Beckmann. A “sujidade” das imagens caracterizada pela gama cromática, pelas imagens da areia escura do chão como nas costas das pessoas, reforçam ainda mais a proximidade com os artistas referidos. Mas muitos outros artistas há a referir.
Agradeço ao Israel esta imagens
VALEU!!!!!

Vou passar para outra imagem
Para o André Sousa
ou o João

vamos lá

Anónimo disse...

Bolas Maia estás um verdaeiro e energético blooger!!! Puseste uma rapidez nisto,até no teclado não te falta energia!Grande Maia.
Carlota

Anónimo disse...

Oi, amiga!!
Tu / vocês sabem que eu não me calo quando vejo um trabalho
gosto logo de falar, de trocar impressões, de esclarecer dúvidas
como eu muitos de nós

foi por isso que foi criado este lugar – blog
(é isto não é Isabel e Nuno?)

Só na semana passada é que fui feliz
ao escrever e conseguir ver editado um comentário

desde então tento escrever
e quando saio deste lugar
vou sempre com a impressão de que terei ainda de escrever sobre isto e sobre aquilo

para mim que deixei de escrever cartas
(e a última pessoa a quem escrevi regularmente cartas
a partilhar visões e impressões foi a nossa amiga Amélia Alexandre
- Lembras-te Amélia?)
este espaço/blog permite algo semelhante
É o que estamos agora a fazer

É mais uma forma de viver um pouco melhor
como é um espaço de amigos
e com os amigos estamos sempre bem
ou deveremos fazer por isso
pois queremos é melhorar a nossa vida aqui
viver melhor aqui

e só o facto de estarmos aqui a trocar palavras
já é alguma coisa
este acto é para nós frutuoso e saudável

mas quero-te fazer uma pergunta
quem é que come as belas alfaces que tens em Coimbra?
E que tal uma oficina com uma escola
ou realiza uma performance em que a artista Carla Filipe
faz uma salada para a malta
ou no natal, dá a produção do seu quintal, a uma instituição?
É que eu estive lá a micar as tuas alfaces
Aquilo é que é um terreno fértil e generoso!!
Como o terreno há também pessoas, não é?

Bem vou ter que ir
Até já
Beijos
maia