12 dezembro 2006

Daniela Paes Leão e João Sousa Cardoso - "Plural - parte II"






Filme seguido de conversa, na exposição Busca Pólos.

13 comentários:

Anónimo disse...

Que rápido
as imagens do João e da Dniela
BOA!!!
BRAVOOO!!!

Amiga estava aqui e fui parar a um outro espaço
O dos NOVA EMOÇÂO
Aquilo lá está quente

Li as palavras de uns
E troquei por outras palavras que foram surgindo quando os lia
E que como me conheces estavam a estalar na minha cabeça
Vou transcrever:

gente!
Tou com os nova emoção e não abro
Como o “com a outra mão disse”
“EU ACREDITEI…”
Eu também João
E penso que és o João pela forma como escreves só pode ser
Concordo contigo
Mas
Como o Nuno diz
Algures neste espaço/blog
Este é o lugar para todas as opiniões

Mais que ser verdade, mentira, verdadeiro, falso
Precoce, com o tempo certo ou muito futurante
A performance do André foi perfeita
Temos conferencista
O objecto de estudo foi apresentado
com rigor em cumprir os pontos importantes de uma análise de um objecto
a citar:
exposição do objecto de estudo
contextualização cultural, social, politica e económica

na análise estética foi abordada a componente formal e conceptual

tudo isto revela o mérito do performer

há ainda a salientar a performance dentro da performance
mais concretamente
a vestimenta do actor/performer que estava imbuído no espírito da coisa

todos nós teremos que dar os parabéns ao artista/performer/actor/conferencista
foi muito profissional

gente
eu vos digo
é muito difícil estar no lugar do performer
e mais difícil (ao contrário do que parece)
é falar para amigos, conhecidos e familiares

a plateia/público/participantes na conferencia é que foi muito passiva

estavam sentados numa obra que apela ao mobilismo, à inconformidade, que representa uma reacção por parte de quem está do lado de cá, os que estão sempre remetidos a uma massa.
Gente é verdade
Não fomos dignos da obra do Nuno e do Renato.
É ou não é?
A instalação do Nuno Ramalho e do Renato Ferrão dão-nos a ver outra atitude
a da inconformidade, revolta e até poderemos ver a representação da divergência ou do desacordo.
Quanto a mim mais do que colocar a Nova Emoção em causa
eu repenso a falta de emoção da plateia, de reacção desta
fico contente por se manifestarem neste espaço
por onde gosto de passear e estar
mas
na próxima conferencia não ruminem as vossas inquietações
questionem
perguntem
eu também farei o mesmo
manifesta-te – (não é Nuno e Renato?)

Na performance o público revelou não ter apreendido o que permitirá uma construção conjunta.
mas
como o João Marrucho/“com a outra mão disse” disse
o importante é dançar, ser feliz
bora lá…

Anónimo disse...

tá taõ bonita
a sombra!!!
maia

Anónimo disse...

Lá estás tu com o público passivo! E tu que fizeste? Eu fiquei sentadinha em cima de um tampo de uma cadeira (Nuno e Renato)com dois pés colados no tampo.Fiquei com com o traseiro desnivelado...E a minha questão foi :já não aguento mais o meu cu dorido por muito mais tempo! Tenho de reagir ! Vou fumar um cigarro.
------------------
Estou a sério e na "tanga" também.Mas agora só queres q as pessoas discutem num local público! E ainda por cima a chameres as pessoas de "pasmaceiras"...ou unertes...ou panhonhas....E n vou responder-te! Vem á minha casa se quiseres.Não gosto de falar na "via pública".

E para acabar .devo acresntar que para além do André Sousa,a peça "6ºfeira", havia outro trabalho que desviava a atenção de uns tantos observadores incluíndo a minha : os filmes do Manuel dos Santos Maia.Existem situações filmadas que não parecem nada vindas de um "filme-caseiro",os tempos são os tempos certos em cada cena.É verdade houve montagem?
Aparece lá em casa(tenho gelado).

CARLOTA GELADOTA

Anónimo disse...

Olá
Eu disse que eu também farei o mesmo

Este apelo que fiz
É comum aos que são tornados visíveis na mostra busca pólos

Para além de Nuno Ramalho e do Renato Ferrão
há o Ângelo Ferreira de Sousa
o João Sousa Cardoso e Daniela Paes Leão
(quem ficou para a conversa
que é parte integrante das apresentações do João e Daniela
pode constatar isto mesmo)

Se falamos de No Future
como o renato e o nuno dizem e a mafalda (sublinha direccionando-se para outro alvo)

se há algo prestes a acontecer
como a isabel ribeiro alerta

se há outras realidades
ao lado da tua
na mesma cidade que a tua
como o eduardo apresenta

se continuas a passar por lugares
de passagem
e estás sempre de passagem
como o André Cepeda te torna consciente
então tens que mudar
tens que fazer algo

não é para isto que se mostra o que se mostra?
Para tomarmos consciência de algo?

Não nos inquietam as obras destes artistas?

Devo ignorar e apreciar abstractamente

É que há por aí
valores estéticos
que são muitas das vezes abstracções
mas digo-te que não as entendo enquanto tal

vá vamos ao gelado
que isto está para gelar

tens aquecimento
estou enrolado numa manta
até já
maia

Nuno Ramalho disse...

entao, sempre comeram o gelado ou nao? e as alfaces da carla, rendem para uma saladita?
abracos

Anónimo disse...

Não amigo
Estive a dar aulas em Guimarães

Não tive qualquer resposta quanto à alface da horta da Carla
E tu já entregaste o teu trabalho?
Dá para escreveres algo sobre ele aqui?

Tens óptimos professores – óptimos artistas
E o curador da documenta que é o “dono” da tua escola
Tens visto alguma conferência ou seminário?

Caso sim vai dando noticias

Até já
maia

Anónimo disse...

amigo
vou dormir
são 3h29
abraço
maia

Anónimo disse...

A Horta ,pelo q me contaram está com uma invasão de lagartas,devoraram tudo!!! A praga q faz parte da falência da colheita.A agricultuira vive destas fragilidades,nunca se sabe o resultado! Vive das circunstâncias do meio, do cuidado e da sorte.
O Pingo-Doce é o substituto para estas desgraças.
Carlota Largatota

Anónimo disse...

Vamos ver como corre a de Coimbra . Os produtos são para pessoas que trabalham sob exploração (a recibo verde),é claro que uma grande dos artistas estão incluídos.

isabel disse...

Ok!
eu quero uma trança de cebolas!

Anónimo disse...

Olá Maia,tou aqui com a Isabelita! Por onde andas?!Já temos saudades tuas....Queres vir comer chouriço?Assado...
A Sissi ainda está no Convento


Carlota Ribeiro

Anónimo disse...

olá
o trabalho
O trabalho
e o receio...
Fazem-me abrandar o ritmo

Se bem que foi nos intervalos do trabalho que andei por aqui

Mas o chouriço...
fica para depois

E que tal uma rabanada
Querem?

Bora lá

Amanhã teremos vídeo nos pêssegos e performance da sala
Sábado conversa sobre performance na sala

A arte sempre a rolar
Até já
eu

Anónimo disse...

Daniela Paes Leao, conheci o teu Pai, e não se faz o que lhe andas a fazer ... há 10 anos que não o contactas ... !!! ... bolas, e és tu que aprogoas a "proximidade das pessoas"... !!!
E mais, se não fosses uma fraude, não ficarias pela procura constante, nos teus trabalhos, mas atingirias o seu resultado final, que isso sim, é que deveria interssar ... !!!
Ana