07 dezembro 2006

HOJE


ENCONTROS DO OLHAR

Fotografia e Arte

A obra de

Rita Castro Neves

21h30
Instituto Português de Fotografia
porto
Partindo de uma formação e visão fotográficas, Rita Castro Neves tem desenvolvido projectos artísticos com suportes diversificados: da fotografia à fabricação de objectos, passando pelo vídeo, a live art, a instalação, bem como projectos site-specific.
As suas obras têm analisado alguns gestos do quotidiano, rotina e familiaridade numa tentativa de compreender e investigar uma visão mais interiorizada das nossas vidas. Em cenários realistas, personagens comuns fundem-se nas suas paisagens – interiores ou exteriores – assim se apropriando e reconstruindo o seu surpreendente mundo exterior.
Este realismo pormenorizado e minucioso – por vezes absurdo, outras político ou ainda emotivo – é também um realismo mágico. A suspensão da realidade permite construir um tempo entre o tempo, atento a um conceito de espaço mental - ponto de partida para uma nova percepção desta nossa realidade flutuante. A narratividade (as séries em fotografia, o tempo sequencial no vídeo e no som…) é muitas vezes quebrada e não-linear. O quotidiano torna-se aqui a fonte quer das emoções, quer da perspectivação - e crítica - das situações e estruturas de funcionamento da sociedade.
Ciclo de Conferências Fotografia e Arte
conferência anterior:
02 Novembro Ricardo Nicolau

10 comentários:

merdinhas disse...

já vi o que escreveste. as flores vermelhas. dei-lhes uma continuidade porque ...até me apeteceu.


e já é 8.

Anónimo disse...

olá!!!
Boa noite gente!!!
O que vos posso dizer…

Que
foi muito boa a conferência da Rita

um corpo de trabalho sólido
a coerência da obra que assenta numa estruturada
relação/conexão entre fotografia, performance e cinema

ver como entre os primeiros projectos e os últimos
há o mesmo rigor,
a investigação temática é aprofundada
a consonância entre a parte conceptual da obra e a formal está presente

gostei tanto, mesmo muito
foi óptimo revisitar o trabalho da Rita


GENTE!!!!!!
todos os olhos para este trabalho

até já
maia
ito solido

ART&TAL disse...

é dia da santa.

diz-me como se arrasta o salao olimpico para tão longe?

deve ser duro...

oficio de artista

do paulo mendes ao oscar..

já ouvi mil e uma coisas.

na altura eu disse: " e um ivo aqui tão perto"

estarei a ser justo isabel



sempre me ficas com o quintal art&tal?

Nuno Ramalho disse...

suponho que ouvir mil e uma coisas e bastante bom.

melhor sera quando nao o fazermos com os ouvidos do costume.

porque ha realmente por toda a parte coisas que se arrastam: ideias feitas, linguas afiadas, palavras amigas, bons entendedores...

se nao nos precavemos arrastam-nos com elas.

isabel disse...

não sei bem Hole, a justiça é tão relativa...

parece que um gajo já não pode ir beber uma cerveja a outro café.

(temos de pensar no trespasse do quintal)

Anónimo disse...

bem não entendo…
isto não é para partilhar os assuntos as coisas que vão acontecendo?

quem são estes/estas dissimulados/as - hipócritas
do arte &tal com merdinhas
não dão o nome?

Custa
ser frontal e dizer o que se pensa
pela sua própria voz, pela sua própria mão e dando o seu nome – assinando por baixo

estes não são herdeiros de todos aqueles que lutaram pela liberdade – foram poucos mas lutaram para que se possa dar a cara, dizer frontalmente – falar com liberdade
agem como se fossem do tempo da ditadura, no passado
São virulentos, transpiram suor envenenado – são infelizes

Senhores/as merdinhas do arte &tal
Que universo putrefacto!
Com cheiro a bolor
Vamos abrir as janelas e deixar o ar circular
Retirem de dentro de casa o que está pútrido
O cloro e o claro da luz ajudam a limpar
Tentem purgar o que está envenenado, apeçonhentado.
Gente!!
O rir e sorrir
não são só o resultado de uma histeria de infelicidade
rir e sorrir de felicidade, de prazer
é muito melhor!!!

Até já
maia

no próximo comentário
tentarei informar-vos um pouco mais da
luminosa conferência da Rita
eu e a CICI ontem ás 6 horas da manha ainda nos riamos
de uma obra da Rita com um gato a tocar piano ao som de sapateado

eu já gostava do trabalho da Rita
mas ontem ainda reforcei o meu apreço pela sua obra
e não só eu
a Cici, a Amélia e a Cristina Alves entre outros
passamos a adorar
a Amélia e a Cici riram abertamente
e eu desmanchei-me a rir também – O GATO A TOCAR PIANO AO SOM DO SAPATEADO!!!!

foi mesmo uma boa

a Cristina Alves até comentou o seu interesse pela obra de todos aqueles que têm como temática o AMOR – está interessada em trabalhos visuais que abordem esta temática –
e este interesse já vem de algum tempo.
É bom saber dito não é? Há pessoas interessadas em pensar o amor de forma tão aberta que incluem os outros os olhares dos outros as perspectivas dos outros sobre o tema.

A Rita apresentou o trabalho fotográfico que mostro no teleférico de Guimarães
Bem,
O conteúdo do bilhete assinado – ASSINADO – por uma Maria Cecília
E o bilhete colocado sobre um carro com uma pedra em cima com uma ameaça a um homem e que dizia: “não sou a cândida, a são, nem a gina … se tu brincares vamo-nos magoar… não quero que fiques comigo muito menos pagares o que me deves …
Fodo-te a cara toda. Quero paz… ASINADO Maria Cecília”
Bem depois de a Rita castro neves ler isto na fotografia e nós tentarmos acompanhar a leitura – olhei para a Cici e voltei a rir. Ela não está relacionada com o facto mas
todo o trabalho está criado de tal forma, e com o nome Maria Cecília; lembrei-me logo da Cici.
Mais um bom momento
Mas como disse
No próximo comentário darei conta da conferência da Rita Castro Neves.
Até já
maia

Nuno Ramalho disse...

amigo maia,

este espaco e mesmo para partilhar por todos e a todas as opinioes. com umas aprende-se mais do que com outras. normalmente, com quem sabe distinguir entre provocar e aticar, tanto emitindo como recebendo conteudos, aprende-se.

mesmo quano as pessoas se dao a conhecer, e a internet e um espaco interessante porque permite extensoes e nao amputacoes de identidade, que garantias existem de autenticidade nas suas opinioes? muitas vezes, pelo contrario, sao as convencoes que funcionam - e, tal como com facadinhas nas costas nao se vai a lado nenhum, com pancadinhas nas costas tambem nao.

este e um espaco que eu e a isabel queremos para explorar dialogos em construcao e mutacao. como diria o renato, "ser e ser-se ouvido".

abraco grande e ate daqui a uns dias. acabei de descobrir que vou para lisboa em vez de ir para o porto. paciencia, la chegarei mais dia menos dia!

Anónimo disse...

Sim tens toda a razão Nuno

Eu não pensei bem
Agi mal
Há esta falha em mim

Com toda a sinceridade
peço desculpa ao merdinhas e arte&tal

até já
todos nos vamos encontrando por aqui
maia

merdinhas disse...

( Maia...Se eu dissesse ser Manuel, Maria ou Joana seria menos anónimo?

Isabel
Os textos das conferências....há-os "por aí"?

Anónimo disse...

Um abraço para TODOS
Até amanhã em Coimbra
Aparece por lá merdinhas
Até amanhã, ok?
Maia