16 abril 2007

parabens, andre!


andré guedes, átrio de um prédio, lisboa, 2005

vinda de portugal, finalmente uma boa notícia: andré guedes foi o vencedor da IX ediçao do prémio uniao latina. em nome pessoal nao podia estar mais de acordo com a escolha, uma vez que o trabalho do andré é dos que mais curiosidade me desperta por se colocar em zonas de risco, sendo um trabalho que surge a interrogar fronteiras e disciplinas da arte mas simultâneamente mais exposto, efectivamente, a uma experiência da realidade. um trabalho muito cuidado, mas nada adocicado.

a exposiçao que reúne os artista nomeados para esta ediçao do prémio pode ainda ser visitada até 13 de maio, na culturgest de lisboa. para além de 'amanha hoje', a proposta do vencedor, podem ainda ser encontradas peças de alexandre estrela, sancho silva e joao maria gusmao/pedro paiva (confesso que também considero o trabalho desenvolvido por esta dupla dos mais fundamentais nos últimos anos de arte contemporânea em portugal, resultando invariavelmente numa experiência sempre enriquecedora e visualmente forte para o espectador). certamente a visitar.

6 comentários:

merdinhas disse...

Fiquei a saber aqui e agora.


e concordo com o elogio que lhe fazes.


Quando brinquei com a seleccção nacional foi um dos que escolhi...com o "Logradouro de um Edifício", 2005.

nuno disse...

há muito tempo que 'carrego' os trabalhos do andré, desde a primeira performance que vi dele no anaiki bóbó, tinha eu acabado de chegar ao porto... desde entao, é sempre um prazer enorme encontrar as coisas dele

nao conheço essa 'brincadeira' que fizeste... mais pormenores?

encontros disse...

olá Nuno!!
e verdade
é merecido
o artista é um grande e bom!!

e o trabalho que está as ser apresentado
parece-me muito interessante

no contexto nacional é algo insólito
se tivermos em atenção as programações brancas
dos espaços expositivos das instituições e galerias

o mais importante
é o dinheiro os dinheiros – Hi! Hi! Hi!!!!
mais merecido!!!!
pois não temos coleccionadores e logo colecções que incluam este tipo de trabalho
tudo está limitado às práticas artísticas convencionais
e se nos recordarmos das mais recentes apresentações
das aquisições realizadas pelas nossas instituições
(que tiveram em exposição – e ainda está numa delas)
aí temos a noção da realidade artística nacional
e o que ficará deste tempo, da criação do nosso tempo
são coisitas,
coisitas que a reduzida verba que os museus têm para aquisições
nos condenarão no futuro
a uma imagem outra da que nós sabemos existir

por isto tudo
pelo que pode representar no nosso panorama nacional
(a vários níveis do sistema)
é que é o André Guedes merece este trabalho
mas como já tinha referido
merece-o também pelo EXELENTE TRABALHO QUE TEM CRIADO
e como nós o conhecemos
eu um pouco menos
mas o suficiente
sabemos que é sério (e ser sério em Portugal nas artes – é muito)
é construtivo
é por MÉRITO que o merece
sim como sublinhas
este prémio é merecido
MERECIDO
Até já
Abraço

Maia

Manuel Santos Maia disse...

Ei!!
que nome é este ENCINTROS???
eu sou ENCONTROS?
Como é que isto acontece?
Eu não sou encontros
Já sei é dos encontros do olhar
sim é isso
já mudei de e-mail
sempre sou eu - agora
Possa que susto…
Até já

nuno disse...

maia, adoro 'rever-te' na tua escrita, parece mesmo que estou a ver-te ao vivo e a cores...;•)
...e viva o andré guedes!

art&tal disse...

e ontem foi uma desgraça

eu bem tentei

abraços

c.